Alimentação na gravidez: o que se deve comer?

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

A alimentação na gravidez, certamente, é uma questão muito debatida entre as futuras mamães. Muitas se perguntam: qual é o tipo de dieta ideal para o desenvolvimento sadio do meu bebê? Uma questão é fato: tudo o que a mãe come, atinge o seu neném dentro da barriga. Podemos dizer que estar gestante requer certos cuidados na ingestão de determinadas comidas.

Para ajudar as mamães com suas dietas, separamos alguns tópicos que são essenciais para o seu entendimento. Neste artigo, você encontra tudo sobre alimentação na gravidez: o que comer, o que evitar, vitaminas essenciais e dietas especializadas. Boa leitura!

Neste artigo você vai encontrar:

O que comer

Logo após receber a grande notícia de que um baby está por vir, é possível que ele já esteja no final de seu primeiro mês de formação. Após a surpresa da descoberta, a primeira preocupação vem à tona: como está a saúde do meu bebê? 

Essa pergunta é, diretamente, associada aos hábitos da mãe, seja na alimentação, na sua prática de exercícios físicos, ou até mesmo no seu estado emocional. Lembre-se: todas as reações afetam, de modo direto, o comportamento e o desenvolvimento do bebê dentro da barriga.

Ao ter em mente essa questão, devemos avaliar a alimentação como um passo importante durante a gestação. Para ajudar as mães, fizemos uma lista de alimentos que são fundamentais durante os períodos de gestação.

Primeiro trimestre

Os três primeiros meses de gestação são marcados por dois fatores: o aumento da frequência cardíaca da mãe e a elevação de seu volume de sangue. Essa fase tem a função de desenvolver as partes vitais do bebê. Dessa forma, torna-se necessária a ingestão de ferro e ácido fólico.

Onde encontrar

Confira em quais alimentos podem ser encontrados o ferro e o ácido fólico:

Ferro: em carnes; fígado; ovos; feijão; lentilha; espinafre; couve; beterraba. 

Ácido fólico: principalmente contido em vegetais verdes e escuros, como couve, espinafre, alface, brócolis, além de cereais e frutas cítricas.

Segundo trimestre

Durante essa fase, é essencial que o sistema imunológico da mãe esteja forte, visto que o seu organismo está em constante trabalho. Desse modo, é recomendável a ingestão de alimentos ricos em vitamina C. O componente também atua também na produção de colágeno na pele, nos vasos sanguíneos e na cartilagem, além de fortalecer o sistema de auto-defesa.

Outros elementos importantes são: a vitamina B6, responsável pelo ganho de peso do feto; e o magnésio, que age de forma a favorecer o crescimento dos tecidos do corpo.

Onde encontrar

Confira em quais alimentos encontrar a vitamina C, a vitamina B6 e o magnésio.

Vitamina C: em frutas, como laranja, kiwi, morango, mamão, abacaxi, acerola; e em hortaliças, como brócolis, tomate, pimentão e couve-flor.

Vitamina B6: trigo, milho, fígado, peixe, leite e derivados.

Magnésio: nozes, soja, cacau, frutos do mar, feijões, ervilhas e cereais integrais.

Terceiro trimestre

Nos últimos três meses, é importante a mulher gestante ingerir alimentos ricos em cálcio e vitamina D. Nessa fase, o bebê começa a esgotar as reservas de cálcio da mãe para desenvolver a sua formação óssea – dentes e ossos. Além disso, tais componentes auxiliam na contração muscular e nos batimentos cardíacos do bebê; ajudam na produção de leite pós-parto; evitam cãibras, gengivites e cáries.

Onde encontrar

Confira quais são os alimentos ricos em cálcio e vitamina D.

Cálcio: leite e derivados, bebidas de soja, gema de ovos, tofu e cereais integrais. 

Vitamina D: manteiga, ovos, fígado.

Função nutricional dos alimentos

  • Carboidratos: são responsáveis por fornecer energia para a mãe e para o desenvolvimento do bebê. Aposte nos integrais: arroz, macarrão, pães e cereais.
  • Proteínas: possuem o papel de construir e renovar tecidos da mãe e do bebê. São encontrados em feijão, carne, leite e derivados.
  • Lipídios: têm a função de auxiliar na formação do sistema nervoso central do feto. São encontrados em peixes, abacate, linhaça, azeite de oliva.
  • Vitamina A: auxilia no desenvolvimento celular e ósseo, na imunidade da gestante e na formação do broto dentário do feto. Encontrada em leite e derivados, gema de ovo, laranja, mamão, couve.
  • Vitamina B3: responsável por manter a vitalidade das células maternas e fetais, por meio da transformação da glicose em energia. Encontrada em verduras, legumes, carne magra.
  • Vitamina B1: têm a função de estimular o metabolismo da mãe. Encontrada em carnes, cereais integrais, frutas, legumes, ovos.

O que evitar

Devido às suas propriedades que podem não fazer bem ao bebê, alguns alimentos devem ser evitados durante a gestação. As toxinas, por exemplo, podem fazer com que seu baby tenha alguma má formação; e as bactérias, contidas em determinados alimentos, podem enfraquecer o sistema de defesa da mãe e trazer complicações ao bebê.

É importante estar atenta aos alimentos que são ingeridos. Evite alimentos como:

    • Peixes: determinadas espécies de peixes (tubarão, marlin, atum rabilho, laranja e peixe-espada) são compostas por quantidades significativas de mercúrio acumulado em seu tecido adiposo. Dessa forma, as grávidas devem evitar para não causar danos neurológicos ao bebê.
    • Ovos crus: certos alimentos que contêm ovos crus, como maionese, gemada, creme holandês, podem ser uma fonte de salmonela.
    • Frango cru: o frango é um alimento muito sensível à temperatura e deve ser bem preparado. Certifique de cozinhar bem o frango antes de comer para evitar salmonela.
    • Queijo maduro: queijo azul, feta, brie, camembert, cottage, ricota, queijos latino-americanos amassados e qualquer leite não pasteurizado ou lácteos não pasteurizados não devem ser ingeridos, porque podem conter a bactéria Listeria. Tal bactéria é responsável por causar anomalias no feto, abortos espontâneos e partos prematuros.
    • Frutas e vegetais sem lavar: é primordial lavar todas as frutas e legumes. Isso é uma forma de prevenir a toxoplasmose, transmitida por um parasita que contamina solos.
    • Outros alimentos: evite brotos crus, pois podem transmitir salmonela; amendoins e produtos industrializados em geral.

Vitaminas essenciais

Algumas vitaminas são essenciais para uma mulher gestante, com o intuito de sustentar o crescimento do bebê. Dessa forma, diferentes quantidades e dosagens desses elementos são fundamentais e requeridas ao longo da gestação. Por vezes, o médico responsável pelo acompanhamento gravidez pode sugerir a compra de complexos vitamínicos eficazes no bom desenvolvimento do baby. É claro que que ingerir alimentos com altos índices de vitaminas, também é uma alternativa.

Dietas especializadas

Vale lembrar que cada mulher apresenta um tipo de metabolismo e conta com suas próprias características relacionadas à saúde. A dieta que pode servir para uma gestante, por exemplo, pode acabar não servindo para a outra. Por conta disso os cardápios genéricos devem ser evitados, ao pensarmos que cada corpo possui às suas peculiaridades em relação ao seu modo de funcionamento.

Todas as gravidinhas sabem da importância de fazer um acompanhamento médico, logo após ter em mãos o teste positivo de gravidez. Com isso, o profissional responsável vai conduzir a sua gestação da melhor forma possível. Caso seja de interesse da gestante, é possível ela pedir auxílio sobre a sua alimentação a partir de então, de modo receber orientações sobre quais são as comidas que devem ser incluídas em sua rotina sem falta.

Em determinados casos, o obstetra pode até encaminhar a sua paciente para um nutricionista, que é expert no assunto. Podemos ressaltar, ainda, que a alimentação para gestante deve ser diferenciada quando comparada à alimentação de uma pessoa comum, de modo a respeitar o seu histórico de saúde.

Para concluir…

De modo geral, toda a mulher gestante precisa tomar certos cuidados quando falamos sobre alimentação na gravidez. É essencial que alimentos adequados sejam ingeridos de forma funcional, de modo a fazer com que o desenvolvimento do bebê seja completo e sadio.

Cada comida desperta uma função em nosso organismo, seja para dar mais energia, fortalecer o sistema imunológico ou estimular a renovação de tecidos. São inúmeras os nutrientes que podem ser absorvidas por meio dos alimentos. Ao tratarmos de gestantes, devemos nos atentar, ainda mais, sobre o valor nutricional do alimento a ser incluído em sua dieta. 

Agora que você já sabe qual alimento não pode falar no seu cardápio, chegou a hora de preparar a sua dieta durante a gestação. Lembre-se: consuma alimentos saudáveis para o seu bebê nascer forte. Caso necessário, faça o acompanhamento com um nutricionista.

Se você gosta desse tipo de conteúdo, siga a nossa página nas redes sociais. São postados conteúdos diários sobre o universo da maternidade. Te encontro por lá!



Fonte: Lá vem bebê

Mais Matérias