Doenças Cardiovasculares – Sintomas e Tratamentos

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Sempre escutamos falar sobre os cuidados que devemos ter com a saúde como forma de evitar ou pelo menos reduzir as chances de algumas doenças ocorrerem. Entre as maiores preocupações estão as ocorrências de doenças cardiovasculares que sempre estão na lista dos principais problemas ocasionados pela vida sedentária e uma má alimentação. Mas na verdade, pouca pessoa tem ciência do que realmente se tratam as doenças cardiovasculares, quais os sintomas e principais os riscos.

O que São Doenças Cardiovasculares?

Doenças cardiovasculares são diversas complicações que atingem os vasos sanguíneos e o coração. Normalmente relacionadas ao fator idade, mas também muito frequente em indivíduos com maus hábitos na vida, como uma alimentação desregrada e uma vida sedentária. Alguns casos, as doenças cardiovasculares podem ser diagnosticadas logo após o nascimento também, em caso de cardiopatias congênitas.

Outra ocorrência para a existência das doenças cardiovasculares são a intercorrência por infecção de vírus, bactérias ou fungos que podem levar a existência de uma inflamação cardíaca, como é o caso da miocardite e da endocardite.

As doenças cardiovasculares são as principais responsáveis por complicações serias como AVC, insuficiência cardíaca, infarto, arritmias cardíacas e até mesmo problemas na circulação sanguínea. Costumam afetar em maior proporção mais homens do que mulheres e normalmente em idades superiores a 50 anos de idade. Sendo considerado grupo de risco para doenças cardiovasculares:

  • Pessoas diabéticas;
  • Com colesterol alto;
  • Com pressão alta;
  • Obesos;
  • Sedentários;
  • Pessoas que sofrem grandes níveis de estresse;
  • Pessoas com histórico familiar da doença.

Indivíduos que se adequam ao grupo de risco devem ter cautela redobrada com a saúde. Ter um acompanhamento médico rigoroso e realizar regularmente exames avaliatórios da saúde. Seguir tratamentos e instruções medicas também é essencial para um melhor controle. A prevenção das doenças cardiovasculares não é só devido aos sintomas e desconfortos que provocam, mas sim por ser considerado uma das principais causas de morte atualmente no mundo inteiro.

Principais Doenças Cardiovasculares

São divididos em dois tipos, as doenças cardiovasculares: as sintomáticas e assintomática. Consideradas sintomáticas, aquelas que provocam sintomas evidentes que estão ocorrendo, como a arritmia cardíaca e a angina e assintomáticas, a hipertensão e a aterosclerose que podem ser completamente silenciosas. Mesmo sendo todas preocupantes, as assintomáticas são as mais preocupantes e por isso ser tão cobrada e necessária as visitas regulares ao médico para acompanhamento, principalmente se faz parte do grupo de risco.

Hipertensão

Caracterizada pelo aumento nos níveis da pressão arterial superiores a 130 x 80 mmHg, a hipertensão pode provocar alterações no funcionamento cardíaco. Está diretamente relacionada ao fator idade, o excesso de peso, o consumo em excesso de sal e comidas gordurosas e a falta de exercícios físicos.

Normalmente não provoca sintomas, mas pode ser percebido através de alguns sinais que podem ser confundidos com outras condições como tontura, fortes dores de cabeça, dores no peito e alterações na visão. A hipertensão deve ser controlada sob o acompanhamento de um médico cardiologista através do tratamento à base de medicamentos, mudanças de hábitos alimentares e a prática de exercícios físicos. A ingestão de ao menos 2 litros de água é indispensável ao tratamento do hipertenso.

Insuficiência Cardíaca

Problemas de insuficiência cardíaca são muito comuns em pacientes que já sofrem com pressão alta, que como consequência sofre com o enfraquecimento muscular cardíaco e como resultado sofre alteração na função de bombear o sangue para o restante do corpo. Devido a essa ocorrência é natural pacientes com insuficiência cardíaca sentirem um cansaço excessivo, falta de ar, inchaço constante nas pernas e pés e tosse seca, principalmente no período noturno.

A insuficiência cardíaca deve ser acompanhada e tratada pelo médico cardiologista. O tratamento é realizado com ajuda de medicamentos reguladores da pressão arterial e diuréticos. O controle na qualidade da alimentação, principalmente na redução do sal é essencial. A prática de atividades físicas faz toda diferença na complementação do tratamento.

Infarto Agudo do Miocárdio

Infarto agudo do miocárdio também conhecido pela sigla (IAM) e popularmente conhecido por ataque cardíaco, é a interrupção da passagem do sangue até o coração ocasionado pelo acumulo de gordura dentro dos vasos sanguíneos. Tem como sintoma característico forte dor no peito com irradiação para o braço, além de tontura, mal-estar e suor frio.

Quando ocorre o ataque cardíaco é necessário que o indivíduo seja levado urgentemente ao pronto atendimento mais próximo para iniciar o tratamento. A intervenção é realizada a base de medicamentos que atuarão no impedimento de novos coágulos sanguíneos e que facilitam que o fluxo sanguíneo normalize ou seja encaminhado para o procedimento cirúrgico de angioplastia.

Cardiopatia Congênita

Cardiopatia congênita é uma má formação no coração que ocorre ainda na fase gestacional. Normalmente identificada na fase gestacional através de exames de ultrassom ou da ecocardiograma, elas devem ser analisadas em particular para verificar a gravidade. Em casos de cardiopatia congênita leve, o indivíduo normalmente não apresenta sintomas e pode levar uma vida absolutamente normal. Em casos considerados graves, pode ser indicada a correção cirúrgica logo após o nascimento do bebê ou em casos mais específicos ser recomendada um transplante de coração.

O tratamento indicado depende da análise do quadro e da gravidade. Nos casos mais leves, pode ser indicado somente o uso de medicamentos para alivio de sintomas, como diuréticos e betabloqueadores que irão atuar no controla da frequência cardíaca.

Arritmia Cardíaca

A arritmia cardíaca é caracterizada pela alteração nos batimentos do coração, tornando-os mais lentos ou mais rápidos que o normal. Essa alteração provoca sintomas como como cansaço excessivo, dor no peito, palidez, falta de ar e suor frio constantes.

O acompanhamento deve ser feito por médico cardiologista e o tratamento tem como foco regularizar os batimentos cardíacos. O quadro deve ser analisado individualmente e com base na gravidade do paciente, o melhor tratamento será prescrito. O tratamento pode ser a base de medicamentos, implante de marcapasso e desfibrilação. O consumo de álcool e bebidas com grande teor de cafeína não são recomendados para pacientes que sofrem com arritmia cardíaca, assim como uma alimentação balanceada.

Angina

A angina é caracterizada por uma forte dor no peito ou sensação de peso. Ocorre normalmente devido à redução no fluxo sanguíneo do coração, mais comum em pessoas de mais idade ou hipertensas que sofrem com pressão alta, diabetes ou que possuem uma vida desregrada na alimentação, ocasionando um acumulo de gordura nos vasos sanguíneos provocando interrupção do fluxo.
O tratamento deve ser feito por um cardiologista que irá avaliar qual a gravidade do quadro e indicará qual o tratamento mais adequado ao caso. Normalmente o tratamento é a base de repouso e uso de alguns medicamentos com a finalidade de reduzir os sintomas e regular o fluxo sanguíneo, além de evitar a ocorrência de coágulos e controlar a pressão arterial.
Foto: Lua Pramos



Fonte: Trocando Fraldas

Mais Matérias