Infarto Agudo no Miocárdio – Trocando Fraldas

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Problemas no coração são algumas das maiores preocupações das pessoas quando falamos em doenças. Isso porque se trata de um órgão vital, extremamente importante e que pode ter consequências fatais quando algum problema surge. Um dos mais temidos é o famoso infarto agudo no miocárdio. Mas o que ele é exatamente e quais são suas consequências? Esse é o tema que vamos tratar no texto de hoje. Mas antes, você sabe como funciona um coração?

Como funciona o Coração e o que é o Miocárdio?

O nosso coração funciona, literalmente, como uma bomba. Sua principal função é bombear sangue através das veias para que todas as outras partes do nosso corpo funcionem com todos os nutrientes e oxigênio necessários. O coração é um músculo e, assim como todos os outros, pode sofrer problemas. A grande diferença é que, quando os problemas ocorrem aqui, o resto do seu corpo também é afetado. Algumas das principais partes que compõem um coração humano são as artérias coronárias, a veia cava, a artéria aorta, os ventrículos, as válvulas semilunares e, é claro, o miocárdio.

O miocárdio é o músculo que permite exatamente que o coração bombeie o sangue para que as veias transportem o sangue para o resto de nossos órgãos. É uma das partes mais importantes do coração e, exatamente por isso, o infarto agudo no miocárdio pode ser um grave problema.

O que é o Infarto Agudo no Miocárdio?

Como você já pôde perceber, o miocárdio é um dos componentes mais importantes do nosso coração. O infarto agudo no miocárdio, também chamado de IAM, é uma fisiopatologia que ocorre quando a artéria coronária está obstruída por algum motivo, normalmente por excesso de gordura em conjunto da formação de um coágulo. O miocárdio fica sem oxigênio e, portanto, acaba se tornando um tecido morto. O resultado disso é o que popularmente chamamos de ataque cardíaco, o infarto agudo no miocárdio.

Quais são as Causas do Infarto Agudo no Miocárdio?

Assim como diversos outros tipos de doenças cardiovasculares, o infarto agudo no miocárdio pode um grande número de causas. Algumas das principais são:

  • Tabagismo
  • Diabetes
  • Pressão Alta
  • Uso de Drogas e Álcool

Vamos falar um pouco mais profundamente sobre como cada uma dessas coisas pode ser prejudicial.

Tabagismo

O uso do tabaco leva à inflamação dos vasos sanguíneos. Como já vimos anteriormente, o coração é um músculo e, com os caminhos interceptados de certa forma, ele precisa trabalhar mais. Isso aumenta não apenas o risco de infarto agudo no miocárdio, mas também de acidente vascular cerebral, o famosos AVC.

Diabetes

Normalmente estão associados à diabetes hábitos de vida não saudáveis, o que aumenta o risco de uma pessoa de ter não apenas o infarto agudo no miocárdio, mas também outros tipos como o infarto silencioso e outras doenças cardiovasculares.

Pressão Alta

Ter pressão alta significa que o coração precisa trabalhar mais, o que aumenta as chances de uma pessoa ter um infarto agudo no miocárdio. Além disso, esse problema, também chamado de hipertensão arterial, muitas vezes está relacionado com outros fatores aqui da lista.

Uso de Drogas e Álcool

O uso de determinada drogas e de álcool em excesso pode fazer a pressão arterial aumentar e exigir muito do coração e fazer com que ocorra um infarto agudo no miocárdio.

Fatores de Risco

Os principais fatores de risco do infarto agudo no miocárdio têm relação direta com as causas que acabamos de listar. Em outras palavras, é importante ter hábitos de vida saudáveis para evitar estar no grupo de risco, já que estamos falando de um problema que mata tantas pessoas todos os anos no Brasil e no mundo.

Vale ressaltar também que, quanto mais velha for uma pessoa, maiores são as chances de ter um infarto agudo no miocárdio, já que o coração está mais fraco, na teoria. Também por isso, tomar todas as prevenções que indicamos aqui é tão importante.

Principais Sintomas do Infarto Agudo no Miocárdio

Ao contrário do que muitos imaginam, o miocárdio nem sempre aparece de uma hora para a outra. Na verdade, muitas vezes é possível perceber alguns sinais do infarto. Os principais sintomas são:

  • Falta de ar
  • Tontura
  • Dor na região torácica
  • Fraqueza
  • Suor frio
  • Inchaço nos pés
  • Dores abdominais

Se você perceber algum desses sinais, procure um hospital o mais rápido possível, principalmente se fizer parte dos grupos de risco. Quanto mais cedo uma atitude for tomada, maiores são as chances de sobreviver.

Como é feito o Tratamento?

O tratamento de um infarto agudo no miocárdio nem sempre é feito da mesma maneira, já que ele depende de uma série de fatores, como a gravidade da lesão e suas causas. É comum que o paciente receba oxigênio no sangue para que o coração não trabalhe em demasia. Também é comum que os médicos receitem medicamentos que visam diminuir as dores do paciente, além de ter um acompanhamento durante alguns dias.

Dependendo da gravidade do infarto, o paciente também pode ser submetido a uma angioplastia, cirurgia que visa restaurar o fluxo do coração. Muitas vezes também são receitados remédios para controlar o coração e evitar um novo infarto. Nesses casos, o uso desses medicamentos deve ser feito de forma muito responsável.

Consequências do Infarto Agudo no Miocárdio

É possível que um infarto não cause nenhuma consequência, quando esse problema atinge apenas uma pequena parte do coração. Porém, na grande maioria dos casos, o paciente sofre algumas consequências, como arritmia cardíaca e alteração do músculo cardíaco, o que pode mudar para sempre a forma como a pessoa deve se tratar. Além desses problemas, também podemos citar a insuficiência cardíaca e a disfunção sistólica como outras das principais consequências do infarto.

O infarto agudo no miocárdio é um mal com o qual temos que lidar, seja no tratamento ou na prevenção desse tipo de problema. A prevenção, aliás, é a arma mais poderosa que temos para evitar as consequências drásticas que o infarto agudo no miocárdio pode trazer. Principalmente as pessoas que estão no grupo de risco precisam se cuidar e entender quais são os sintomas e causas da doença, mas não apenas elas. É importante que todos tenham consciência que se trata de um problema sério e que pode afetar mesmo aqueles que não estão no grupo de risco. Cuidar da saúde é sempre importante e se torna ainda mais quando precisamos prevenir problemas como esse.



Fonte: Trocando Fraldas

Mais Matérias