Refluxo Gastroesofágico: O que é, Principais Causas e Tratamentos

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

Queimação no esôfago que vai até a garganta, azia constante e um grande incomodo ao ingerir certos alimentos. Essas são algumas das principais características do refluxo gastroesofágico, um problema que atinge milhões de pessoas em todo o mundo. Mas por que será que ele ocorre? Como tratar esse problema? Tem cura? Essas e outras perguntas serão respondidas no texto de hoje. Portanto, se você ficou curioso para saber tudo sobre o assunto, confira agora!

O que é o Refluxo Gastroesofágico?

A primeira coisa que devemos abordar é o que é o refluxo gastroesofágico e porque ele surge. Também conhecido como DRGE (doença de refluxo gastroesofágico) ou simplesmente de refluxo, essa condição é crônica, ou seja, que persiste por um longo período de tempo e tende a ser mais evidente em alguns momentos.

Essa doença consiste, basicamente, no retorno do suco gástrico para o esôfago. O grande problema é que a mucosa do esôfago não é preparada para receber líquidos tão ácidos, o que faz com que ela se irrite, causando diversos sintomas e outras complicações. Em casos mais graves, esse problema pode acabar atingindo a laringe, a boca e até mesmo os pulmões.

As causas do refluxo gastroesofágico estão normalmente ligadas à fragilidade na estrutura do estômago, que permitem com que o suco gástrico possa ir ao esôfago. Outra causa conhecida é a hérnia de hiato, que causa o deslocamento da transição entre o esôfago e o estômago.

Sintomas do Refluxo Gastroesofágico

O refluxo gastroesofágico é uma doença que apresenta diversos sintomas bastante evidentes. Eles são:

  • Azia constante
  • Mau hálito
  • Tosse seca
  • Dor torácica intensa, que muitas vezes é confundida com a dor de infarto no miocárdio
  • Queimação na boca do estômago que pode ir até a garganta

Se uma pessoa sentir um ou a combinação de alguns desses sintomas, é importante que ela procure um médico o mais rápido possível para que um diagnóstico preciso possa ser feito e o tratamento realizado da melhor maneira possível.

Como é feito o Diagnóstico?

O diagnóstico do refluxo gastroesofágico é feito a partir do relato do paciente para seu médico dos sintomas. A partir disso, é receitado uma endoscopia digestiva e uma PHmetria, que juntas podem indicar se realmente se trata de uma doença do refluxo gastroesofágico ou não.

Fatores de Risco

Os grupos de risco do refluxo gastroesofágico estão diretamente relacionados com hábitos ou condições que facilitam o surgimento de fragilidades no estômago, que por sua vez, causa a doença. Alguns dos principais fatores de risco são:

  • Obesidade
  • Tabagismo
  • Ingestão de determinados medicamentos
  • Hérnia de Hiato
  • Gravidez
  • Diabetes
  • Ingestão em excesso de alimentos ácidos

É importante lembrar que, mesmo que uma pessoa não esteja dentro desse grupo, a doença ainda pode se manifestar, já que esses são apenas alguns fatores que contribuem para que ela surja. Por isso, é importante que todos se previnam e tomem as precauções necessárias para evitar problemas como esse.

Tratamento do Refluxo Gastroesofágico

Antes de mais nada, é importante frisar que não existe uma cura para a doença do refluxo gastroesofágico. Porém, existem alguns tratamentos que têm se mostrado bastante eficientes no controle dos sintomas e que permitem que uma pessoa que possui a doença possa levar uma vida totalmente normal.

A forma de tratamento mais convencional é feita através do uso de medicamentos que diminuem a acidez do estômago. Seu efeito é ainda maior quando o paciente segue recomendações como a prática de exercícios, evitar se deitar logo após comer e adotar uma dieta específica e menos ácida.

Existe também o tratamento cirúrgico, que é indicado quando o refluxo é muito constante, causando complicações como a esofagite, por exemplo. A cirurgia também é indicada quando o tratamento através de medicamentos não surte os efeitos esperados.

Como evitar o Refluxo Gastroesofágico

Algumas das atitudes que uma pessoa pode tomar para evitar desenvolver a doença são:

  • Evitar o tabagismo
  • Não exagerar no uso de álcool
  • Não exagerar nos alimentos ácidos
  • Não consumir bebidas como café, chá ou refrigerante em excesso
  • Manter uma dieta balanceada
  • Praticar exercícios físicos com regularidade
  • Fazer refeições leves e comer sem pressa
  • Não se deitar logo após comer, principalmente as refeições mais pesadas como massas com molho
  • Tomar essas atitudes e adotar esses hábitos mais saudáveis de vida não ajudam apenas a evitar o refluxo gastroesofágico, mas também trazem diversos outros benefícios para a sua vida e para sua saúde.

    Possíveis Complicações

    Se uma doença do refluxo gastroesofágico não for tratada da maneira correta, é possível que surjam algumas complicações, tais como:

    • Esofagite, doença caracterizada pela inflamação no esôfago
    • Esofagite erosiva, caracterizada pelo surgimento de úlceras no esôfago
    • Estreitamento do esôfago
    • Tumores malignos

    Como você pôde perceber, o refluxo gastroesofágico é uma doença que atinge muitas pessoas, mas que pode ser evitada ou mesmo controlada com a adoção de hábitos saudáveis em sua vida. Por se tratar de uma doença crônica, muitos podem acreditar que um tratamento de nada adianta, mas é exatamente com a ajuda de um médico que você pode controlar a doença e manter uma vida saudável e, principalmente, que você possa ter o prazer de comer e beber sem se preocupar com dores. Sempre com responsabilidade e consciência, é claro.



Fonte: Trocando Fraldas

Mais Matérias