Seios na gravidez, como se preparar para amamentar?

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on linkedin

A gravidez é literalmente uma bomba de hormônios em nosso corpo. E por causa dela muitas coisas mudam (tanto fisicamente quanto emocionalmente). Talvez você não saiba, mas além da barriga, outra parte do nosso corpo muda muito! Você sabe de qual parte do nosso corpo eu estou falando? Os seios! Sim, eles mesmos. E neste texto você vai encontrar todas as informações que precisa sobre o que muda no seio durante a gestaçãoQuais cuidados eu devo ter com meus seios na gravidezComo se preparar para amamentar? Por isso, não deixe de ler até o final!

Neste artigo você vai encontrar:

O que muda nos seios na gravidez?

Uma das mudanças físicas mais perceptíveis na gravidez é o ganho de peso. E este aumento de  massa não se deve apenas ao crescimento do bebê ou os líquidos amnióticos, mas também ao aumento dos seios. Mas por que os seios aumentam na gestação? Simples, para se preparar para a chegada do bebê, ou seja, para amamentar. Além do aumento de tamanho a ginecologista Sheila Sedicias cita outros tipos de mudanças que ocorrem:

  • Seios ficam doloridos ou sensíveis: Por causa do aumento de tamanho e peso do seio, ele tende a ficar dolorido e mais sensível.
  • Auréolas mais escuras: O escurecimento é resultado do aumento da vascularização na gestação.
  • Bolinhas ao redor da auréolas ficam mais salientes: Não há nada com que se preocupar, são apenas glândulas protetoras.
  • Surgimento de estrias: Por causa do aumento repentino no tamanho do seio, é muito comum que estrias apareçam.
  • Aparecimento do colostro: O colostro é o leite materno, pode começar a “vazar” no terceiro trimestre, mas não há nada com o que se preocupar.

Como aliviar os incômodos nos seios na gravidez?

Assim como outras mudanças e sintomas na gravidez, as mudanças que ocorrem nos seios durante a gestação também podem causar muito desconforto. Uma pesquisa feita com gestantes adolescentes constatou que a mudança nos seios foi a mais percebida por elas e a mais incômoda. Desta forma, conhecer alguns métodos para diminuir este incômodo é de grande ajuda. Como a maior parte do incômodo é resultado do aumento do tamanho do seio, usar um sutiã adequado, ou seja, que seja confortável e tenha alças largas, é muito bom.

Como preparar o seios para a amamentação?

Qual grávida no 3º trimestre nunca ouviu um conselho de como ir preparando o seio para a amamentação? Pois bem, alguns conselhos podem ser apenas mitos e outros podem ser realmente verídicos. Em um artigo publicado pelo Ministério da Saúde em 2009, afirmou-se que o preparo das mamas durante o pré-natal não é muito eficaz. A justificativa para esta afirmação é que o próprio corpo está se encarregando de “estimuar” os seios. Mesmo em casos em que os seios têm um formato do bico não usual, intervenções após o parto são mais eficazes do que um estímulo antes do bebê nascer. Uma das formas de se “ajudar” o seio é utilizando sutiãs adequados, ou seja, que sejam (de preferência) de algodão e com alças largas, pois são mais confortáveis. Mas para evitar as fissuras nos mamilos, tomas sol e arejá-los é de grande ajuda.

Tipos de bicos de seio e a pega correta

Dizer que o bebê está tendo dificuldades parar pegar o seio para a amamentação é um mito. É verdade no entanto que existem vários tipos, mas, segundo o médico pediatra Luciano Borges Santiago, membro do Departamento de Aleitamento Materno da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) 90% das mulheres tem o tipo normal de bico. Além deste bico mais comum, existem também os bicos planos (onde o bico não se sobressai) e os invertidos (bico para dentro). No caso destes 2 tipos de bicos mamários, nós precismos estar atentos às maneiras corretas de amamentar e estimular a pega correta, que nesse caso precisa que o bebê pegue boa parte da auréola além do bico. Lembre-se, no entanto, que nenhum tipo de bico é limitador, até porque o bebê não conhece outros tipos além do que é oferecido a ele.

Pega correta

Aproveitando que estamos falando sobre tipos de bico e a forma de melhor estimular a pega correta, vamos conversar um pouco mais sobre ela, a pega correta. Em um material divulgado pelo Ministério da Saúde divulgou em 2001, há orientações sobre como o bebê deve posicionar a boca na mama da mãe e as posições corretas para o momento da amamentação. Colocamos abaixo um resumo das recomendações deste material.

  • A boca do bebê deve abrir bastante, para que ele consiga pegar não só o bico, mas também a auréola.
  • Recomenda-se que as mães deixem seus seios completamente expostos e que o bebê esteja vestindo uma roupa que não restringe o movimento dos braços.
  • É aconselhável que a mãe coloque os pés num nível acima do chão.
  • Posicione a barriga do bebê para encostar com a sua.
  • Alinhe o corpo da criança com a sua cabeça.
  • Não deixe o braço da criança entre o corpo dele e o seu.
  • O bebê precisa estar posicionado de maneira bem firme.
  • Estenda levemente o pescoço do bebê.
  • Segure os seios, mas não na parte das auréolas. Também não é recomendado segurar o seio em “tesoura”.
  • Coloque o bebê na altura do seio e alinhe a altura o nariz dele a altura do mamilo.
  • Espere o bebê abrir a boca para colocá-lo no peito.
  • Deixe as narinas do bebê livres.

Mudanças pós-amamentação

Nós conversamos um pouco sobre as mudanças durante a gestação e no pós-parto. Agora chegou a hora de falar sobre o que acontece quando encerramos o período da amamentação. Depois de tantas mudanças, logicamente, o seio não será o mesmo que antes da gestação. Uma das mudanças mais perceptíveis é o “murchamento”. Como não há mais leite, o tamanho diminui e por consequência o seio murcha. É muito comum também, o surgimento de estrias, já que a diferença no tamanho foi drástica e muitas vezes repentina. Dependendo do tipo de corpo que a mulher possui, é possível também reparar uma flacidez na pele.

Gostou deste texto? Compartilhe com a sua amiga que está louca com as dores nos seios ou aquela amiga que tem medo das mudanças mamárias na gravidez. E você? Como foi lidar com essas mudanças? Conte aqui nos comentários e ajude outras mamães!



Fonte: Lá vem bebê

Mais Matérias